quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Conheça os entraves para sua liberdade financeira em 2015

Os tempos atuais são difíceis com economia instável, grandes transformações no mundo inteiro, forte apelo ao consumismo, mudanças no estilo de vida etc. Todas estas mudanças obviamente impactam as nossas finanças, pois ninguém sabe hoje em que direção estaremos nos encaminhando amanhã.

Por outro lado, estamos em um inicio de ano onde fazemos diversas promessas e resoluções para o ano que se inicia e uma das promessas mais comuns de Ano Novo é usar melhor o dinheiro neste novo ciclo. Entretanto, é preciso tomar cuidado com uma série de hábitos financeiros aparentemente inofensivos, mas que são os grandes empecilhos para você conseguir cumprir essa promessa.


Fazer uma poupança é necessário para qualquer fase, mas é vital para a fase adulta (veja o ciclo da vida financeira na figura acima). Descubra as cinco coisas que vão te impedir de guardar dinheiro em 2015.

1. Fazer compras parceladas:
Quem tem o hábito de parcelar tudo o que compra no cartão, costuma estar sempre com o orçamento apertado. Na hora da compra, quatro parcelas de R$ 50,00 podem não parecer muita coisa no orçamento dos próximos meses, mas quando várias dessas parcelas são somadas, o peso sobre a renda é enorme e seus planos financeiros – guardar dinheiro por exemplo – são comprometidos por conta daquilo que você comprou tempos atrás. Sempre que possível, em vez de parcelar, prefira guardar o dinheiro necessário para comprar de única vez. Regra: itens adquiridos de forma rotineiras (ex: supermercado, gasolina e etc), jamais podem ser parcelados.

2. Ficar no cheque especial:
Por conta da facilidade de acesso, muitas pessoas acabam subestimando o perigo do cheque especial. Quem tem o limite liberado na conta, não precisa autorizar a contratação do empréstimo. Se seu dinheiro já tiver acabado e cair uma nova despesa, o banco empresta dinheiro na hora – a conta fica negativa – e cobra os juros que estão entre os mais caros do mercado. Cheque especial não é extensão do salário! Use apenas em caso de emergência. Se você fecha todo mês no negativo, está na hora de rever suas contas mensais e economizar.

3. Pagar o mínimo da fatura de cartão de crédito:
Quando o orçamento aperta, muitas pessoas acabam pagando o mínimo da fatura do cartão de crédito e o pior, continuam gastando. Essa é uma prática financeira muito ruim, já que favorece o endividamento. Se você não conseguiu pagar a fatura neste mês, dificilmente conseguirá pagar no próximo, ainda mais fazendo mais gastos. Sem contar, que os juros do rotativo, assim como os do cheque especial, também são muito altos.
Se você não tiver dinheiro suficiente para pagar a fatura do cartão de crédito, procure uma linha de empréstimo mais barata, como o crédito consignado ou com garantia de imóvel ou veículo. Ao substituir a dívida cara por uma barata, você economiza nos juros e ainda prolonga o prazo de pagamento. Só não se esqueça de apertar o cinto até quitar o empréstimo, se não, você vai se endividar de novo. 

4. Gastar mais do que você ganha:
Quem depende do cartão de crédito e do cheque especial para se mantiver está cometendo um grave erro financeiro que muitas vezes passa despercebido: os gastos são maiores do que a renda. Para sair dessa situação, é preciso mapear todas as suas despesas – preenchendo uma planilha de gastos ou usando uma ferramenta automática e criar metas para cada uma delas.

5. Não incluir uma poupança mensal entre suas despesas:
Se você costuma esperar ver quanto vai sobrar no final do mês para aí mandar dinheiro para a poupança, dificilmente conseguirá acumular uma reserva, já que já deve ter percebido que dinheiro nunca sobra. Entre as metas de gastos mensais que você vai criar, coloque também um valor para ser guardado na poupança, como se ela fosse mais uma de suas despesas. Ou seja, estabeleça uma meta de poupança mensal.

Ferramenta de gestão: Orçamento Financeiro Doméstico
Uma excelente opção para amadurecer seu controle rumo a liberdade financeira, elaborar e manter com disciplina o Orçamento Financeiro Doméstico, que é uma ferramenta extremamente simples e eficaz, porém diferente do que muitos pensam não é só "anotar as despesas realizadas". Orçamento envolve planejar os gastos, definir as necessidades e eleger as prioridades. A adoção desta ferramenta irá ajudar a traçar o seu perfil financeiro, identificar para onde esta indo o seu dinheiro, fornecer subsídios para a definição e atingimento das suas metas financeiras.

Saiba como elaborar e baixe um modelo grátis acessando: Aprenda a elaborar um Orçamento Financeiro Doméstico

Nenhum comentário:

Postar um comentário