sábado, 9 de junho de 2012

Combatendo a Zona de Conforto

Imagine um aquário aberto dentro do mar, esta foi a melhor ilustração que consegui para demostrar como ocorre a Zona de Conforto. Neste aquário tem agua limpa e vivi alguns peixes, que mesmo com a possibilidade de sair para um “Mar de Oportunidades” escolhem ficar ACOMODADOS na segurança, calma, previsível, tranquila, mas também limitada, chata e monótona águas do pequeno aquário, mesmo vendo o horizonte LIVRE pelo vidro límpido e uma porta larga, aberta e convidativa para a liberdade.

Na realidade o conceito de Zona de Conforto é mesmo como um pequeno aquário dentro do mar, pois são os comportamentos que estamos acostumados a ter, que não nos causam ansiedade, que não nos trazem riscos, em outras palavras, a zona de conforto é o mesmo que comodismo, ou ainda menor esforço.

Em minha vida profissional tive diversas oportunidades de conviver com empregados nesta situação e fazendo uma analise um pouco mais aprofundada sobre o assunto, consigo avaliar que profissionais que se encontram na zona de conforto tem alguns pontos em comum:

Perfil do colaborador na Zona de Conforto
  •  Normalmente tem domínio do seu trabalho (detém conhecimento técnico e de processos da empresa);   
  •  São pessoas que muitas vezes não têm, ou pelo menos não apresentam anseios por cargos de liderança dentro da organização;    
  •  Já estão na empresa/função há algum tempo (normalmente mais de 05 anos);
  •  Alguns já passaram por alguma frustração profissional;    
  •  A maioria de empregados que estão na zona de conforto também reclamam devido à falta de oportunidade na empresa (se sentem injustiçados ou perseguidos). 

Os lideres tem a obrigação de encontrar uma forma positiva para lidar com estes profissionais, e uma forma eficiente é envolver estes empregados em novos processos, principalmente na fase de concepção. Para a empresa também é interessante ter estes profissionais em novos projetos, pois eles detém muito conhecimento e por outro lado, para o profissional se sentir parte do novo provavelmente será um elemento motivacional, principalmente a possibilidade de visibilidade do trabalho, pessoas em zono de conforto normalmente são “invisíveis” dentro da organização.

Outro recurso que também pode ser utilizado pelos gestores é a técnica do job rotation, que é um processo estruturado de “rodízio” de funções e permite ao colaborador a oportunidade de conhecer atividades e processos diferentes dentro da organização, esta pratica aliada a um processo de estruturado e transparente de feed back também podem ser verdadeiros alavancadores de carreira para colaboradores que ainda estejam na zona de conforto.

Acredito que não exista uma formula mágica que funcione com todos os empregado, até porque estamos tratando aqui de pessoas, que são seres altamente complexos e dotados de sentimentos, emoções e frustrações, por fim considero que a zona de conforto é o mesmo que estagnação profissional, por isso que temos que combater este “malefício profissional” com todas as “armas” que dispomos, principalmente com a conscientização.

Discutindo sobre o tema, lembrei de uma frase que escrevi para concluir uma apresentação de trabalho em minha empresa e que uso há mais de 05 anos como assinatura de meus e-mails pessoais.

“As escolhas e as mudanças são partes integrantes dos Seres Humanos”

A frase ilustra que não existe evolução sem mudanças e escolhas, e estas não acontecem dentro do pequeno aquário e nem no imenso mar, mas de forma intrínseca em cada pessoa. Apesar da empresa e lideres utilizarem ferramentas e técnicas para estimular o saida da Zona de Conforto, bem no fundo, a realidade só poderá ser mudada por opção do próprio colaborador.

Experimente, tente algo novo, dê mais um passo, não permita que o conforto, a tranquilidade das aguas no pequeno aquário e até mesmo o medo de sair o impeçam de realizar seus sonhos, objetivos e metas. Saia do aquário e nade em mar aberto!


Autor: Fabio Arruda 
fabio.arruda.mg@hotmail.com Este texto foi publicado também no site Administradores.com, para acesso nesta versão clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário