segunda-feira, 30 de abril de 2012

Virando o Jogo: Situações Criticas X Atitudes Empreendedoras


João Pedro trabalhava numa indústria como vigilante. Bom profissional, era estimado por todos os colegas e prestigiado pelos superiores. Um dia João Pedro se envolveu em um terrível acidente de transito indo para o trabalho, com graves ferimentos ele se salvou, mas perdeu um dos braços.

Ao restabeleceu-se, a diretoria da empresa decidiu mantê-lo no emprego, mas com um só braço não poderia mais exercer a antiga atividade. Permaneceu em trabalhos auxiliares até que, por fim foi demitido pois a diretoria concluiu que ele não estava satisfeito com a situação. E isto não era bom para ele, nem para a empresa.

Ele já havia recebido o dinheiro do seguro acidente que era razoável. Recebera agora a indenização da empresa. Era na sua totalidade um bom dinheiro.

O que fazer? A esposa trabalhava também na cozinha de um restaurante mas o dinheiro somente daria por um tempo. O dinheiro das indenizações acabariam um dia, e aí, como será? João Pedro, apesar da falta de um braço, sentia-se encorajado para trabalhar embora as portas do emprego estivessem fechadas para ele.

Os amigos da indústria resolveram homenageá-lo com um almoço: - Amigo João Pedro, vamos almoçar juntos. Todos os colegas do trabalho estarão lá, mas tem que ser no domingo porque, como você sabe, trabalhamos no sábado e os restaurantes próximos á indústria são horríveis. Vamos comemorar no outro bairro.

“Todos os restaurantes próximos à indústria são horríveis”. Estas palavras ficaram rodando em circuito fechado na mente de João Pedro.

João Pedro observou que existia uma oportunidade, sua esposa era habilidosa na cozinha e o mercado estava carente de um bom restaurante, ele não perdeu tempo, no almoço com os colegas expôs a idéia. Abriria um pequeno restaurante próximo à indústria, oferecendo bom ambiente, limpo, comida ótima e aceitaria os vales da empresa. Aplausos. Os colegas se comprometeram a fazer suas refeições no restaurante de Nicanor e, ainda, divulgar com os colegas.

Havia no local, um restaurante fracassado cujo ponto estava à venda.
Comprou, reformou e inaugurou com almoço grátis para os colegas da fábrica. Foi um sucesso. Era o único restaurante bom da localidade. Até algumas pessoas do outro bairro passaram a fazer refeições ali.

Em menos de dois anos, teve que abrir um outro próximo porque o primeiro não estava dando conta. Depois abriu mais dois num outro bairro. Dez anos depois ele já tinha seis restaurantes nos mesmos moldes e todos dando lucro. Ficou rico.

Uma conhecida empresa de consultoria empresarial vendo o sucesso repentino de João Pedro, o convidou para fazer uma palestra sobre a sua vida empresarial de sucesso.
        
Numa reunião com os consultores, um deles falou: Se você conseguiu tanto sucesso com apenas um só braço, não consigo imaginar o que você seria hoje, se tivesse os dois.

Ao que João Pedro respondeu: Eu sim, posso imaginar o que eu seria. CONCERTEZA CONTINUARIA SENDO VIGILANTE EM ALGUMA INDÚSTRIA OU DEPARTAMENTO.


Todos os dias somos DESAFIADOS a mudar a direção de nossas vidas, não é necessário perdermos um braço ou um perna, basta termos em mente que nascemos para o sucesso e de posse desta informação aplicar o EPAD (ESTUDAR, PLANEJAR, AVALIAR e DEDICAR-SE).


Nenhum comentário:

Postar um comentário