sábado, 31 de março de 2012

Arrogância: doença na trajetória profissional

A arrogância tem destruído muitos relacionamentos, amizades, negócios, casamentos e impossibilitado muitos profissionais de terem êxito em suas carreiras. Esta mazela vem sendo espalhada em meio à humanidade desde o início do mundo, quando olhamos na história, vemos que ao longo das épocas vários lideres e pessoas tiveram seus nomes marcados pela forma arrogante de proceder. A bíblia, sobretudo o velho testamento, relata várias passagens que demonstram essa característica do humano.
Mas afinal o que é arrogância?
Arrogância é o conjunto de pensamentos e atitudes que caracterizam a falta de humildade. É comum conotar às pessoas que apresentam essa características algumas posturas, como não desejar ouvir os demais, não se permitir aprender algo novo e se sentir superior  em relação ao seu próximo. São sinônimos de arrogância: o orgulho excessivo, a soberba, a altivez, o excesso de vaidade.
Arrogar vem do latim arrogare que significa tomar como próprio, apropriar-se, tomar como seu, atribuir a si.
Contrariando o que muitos acreditam a arrogância não acomete somente pessoas de maior poder aquisitivo (ricos) ou dotados de grande inteligência (conhecimento), ela pode acometer pessoas de qualquer classe econômica ou so­cial, pode ser encontrada entre ricos e pobres, pessoas cultas e ignorantes, homens e mulheres em qualquer faixa etária ou etnia.
Perfil do arrogante

É muito 
fácil identificar as características da arrogância. Será apresentada a seguir uma pequena lista das principais atitudes e comportamentos apresentados por pessoas consideradas arrogantes.
  1. Tem sempre uma desculpa para o seu insucesso;
  2. Tenta enganar os companheiros para “sair por cima”;
  3. Nunca reconhece o erro, sempre tenta por culpa em alguém;
  4. Causa intriga na equipe e tem sempre uma teoria de conspiração;
  5. Acha que sabe tudo;
  6. Acha-se melhor que todos na equipe;
  7. Gosta de “passar por cima” de todos;
  8. Gosta de aparecer, necessidade de esta na frente;
  9. Entra em conflito com facilidade, é antipatizado por muitos;
  10. É movido pelo reconhecimento, tendo necessidade de receber elogios o tempo todo;
  11. Tem a solução para todos os problemas (dos outros, é claro), porque os dele estão todos “resolvidos”;
  12. No fundo é inseguro, mas não gosta de demostrar.
“A arrogância é uma característica que, durante algum tempo, pode ser confundida com determinação. Com o passar do tempo, transforma-se em algo demasiado abrasivo para ser tolerado.” (João Cândido da Silva)

Vírus da arrogância
O vírus da arrogância tem um poder tão grande sobre os profissionais que chega provocar “cegueira e surdez”. A “cegueira” de não querer ver que ele é um ser humano falível e limitado como outro qualquer e a “surdez” de não querer escutar o que os outros dizem, por achar que já sabe tudo, ou ainda, por julgar ser superior à pessoa que esta falando. Sabendo destes sintomas, é fácil concluir que muitos desastres empresariais, ineficácia na gestão e a destruição de profissionais com trajetórias de sucesso, realmente ocorreram porque a arrogância impediu o profissional de aprender, de ouvir, de interagir e consequentemente de se modificar e evoluir.
Existe remédio para este vírus?
Existe sim, mas não é só um comprimido, trata-se de um verdadeiro coquetel, e o tempo de tratamento é longo. Estamos falando aqui da implementação de um processo estruturado e consciente que envolve mudanças de atitudes e comportamentos para adquirir uma nova competência, a HUMILDADE. Toda mudança é difícil, pois nos tira da zona de conforto (comportamento habitual) e nos faz abrir para novas perspectivas. Isso geralmente traz muito medo para quem esta embarcando neste novo viés.
Perspectiva da mudança: Arrogância X Humildade
Segundo Paulo Gaudêncio, psiquiatra organizacional, a mudança é um procedimento neurológico e, para enfrentar o medo, temos que cortar a ponte com o passado. No caso da arrogância, é essencial aprendermos a detectar a sua presença e a lidar com ela.
Na parábola do trigo e do joio (Mateus 13:24-30), um homem plantou sementes no seu campo mas o inimigo plantou joio no mesmo campo. Uma vez que o trigo e o joio começaram a crescer juntos, os servos sugeriram que arrancassem o joio. O dono da casa não os deixou tirar o joio. Ele deixou o joio crescer junto com o trigo até a colheita, quando o trigo foi recolhido e o joio foi queimado.
O mesmo vale para a arrogância (joio), pois ela tem no sentido inverso a humildade (trigo). Sendo assim, a melhor maneira de reconhecer a arrogância é compreendendo a natureza da verdadei­ra humildade. Ao nos familiarizarmos com suas características, podemos identificar a sua ausência instantaneamente, o que significa dizer que estão sendo praticados atos e pensamentos arrogantes. Após essa identificação, o próximo passo é trabalhar conscientemente para reverter o comportamento inadequado.
Outro propulsor de mudança é o feedback, que é o processo de fornecer dados a uma pessoa ou grupo ajudando-o a melhorar seu desempenho no sentido de atingir seus objetivos e metas com base na veracidade observada ou vivenciada. Neste contexto, solicitar feedback sobre seu desempenho e comportamento para pessoas que você admira e confia é uma atitude de coragem, porém isso por si só, não provoca mudança. O que realmente impulsiona mudança é receber o feedback por uma perspectiva positiva, processar e daí por diante, mover ações no sentido de reverter as oportunidades de melhorias apontadas. Primariamente, tudo o que for feito, investido e plantado, exigirá um esforço adicional, mas o resultado virá, com certeza virá no médio e longo prazo.
Esse é o coquetel armado para combater a arrogância em nossas vidas, e é necessário tomá-lo com frequência. O ciclo de reconhecer, mudar e aferir o resultado inicia agora, após ler este texto você já tem informação, colocá-la em prática ou ignorá-la só depende de você.
“Muitos são orgulhosos por causa daquilo que sabem; face ao que não sabem, são arrogantes”. (Johann Goethe).


Autor: Fabio Arruda 
fabio.arruda.mg@hotmail.com
Este texto publicado também no site Administradores.com, para acesso nesta versão clique aqui

12 comentários:

  1. “Aquele que julgar que não tem nada a melhorar, coloque a arrogância no topo da lista, pois este será o primeiro ponto a reavaliar.”

    (James Hunter)

    ResponderExcluir
  2. Realmente, a arrogância é uma doença

    ResponderExcluir
  3. Muitas pessoas a usam como meio de sobrevivência, infelizmente. Excelente artigo. Parabéns.

    ResponderExcluir
  4. Excelente! Nossa, tem algo que valorizo soberanamente no ser humano são a humildade e autenticidade, que caminham normalmente juntos.

    ResponderExcluir
  5. O artigo é excelente e completo, e vindo de uma pessoa com vínculos com a VALE, acredito que já testemunhou inúmeras situações internas onde os colaboradores da empresas tiveram procedimentos de arrogância. Faço meu comentário dando esta conotação, por ter experimentado como funcionário de uma subcontratada, as piores experiências de tratamento de arrogância, prepotência e indicação clara que os contratados são uma classe a ser pisada.
    Encerro aqui para não expressar de forma detalhada o que presenciei na prática, o que você definiu em detalhes.
    DEUS o abençoe!!!

    ResponderExcluir
  6. Sábias palavras! Porém acrdito que a arrogância remete a causas mais profundas, a exemplo de falta de caráter, má formação familiar e incledulidade. O que é perceptível aos nossos olhos, são apenas os efeitos. Acredito que nesta área, somente um verdadeiro encontro com o Criador poderá levar o homem a ser curado deste vírus, e para que isto aconteça se faz necessário recorrermos ao manual da vida, ou seja, a palavra de Deus. "Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração." Alguém conhece um ex-arrogante que não tenha tido um verdadeiro encontro com o seu Criador? (Hebreus 4:12)

    ResponderExcluir
  7. Excelente matéria!!
    Geralmente negocia melhor com esta tipologia humana!!As atitudes deste tipo me agridem tanto que endureço a um ponto em que GANHO sempre!!
    Tenho enorme dificuldade em negociar com o extremo, ou o "esperto" humilde!!Eheheh!!
    Mas tema sempre atual!!
    Grato

    ResponderExcluir
  8. Amaro T. Mesquita Carvalho6 de março de 2014 09:06

    Fábio, certamente você foi inspirado /usado por Deus para postar esse texto. Parabéns, foi de uma felicidade grandiosa, nele há muita sabedoria. Esse assunto é extremamente importante e oportuno, e sempre será. O escrito é um axioma, há verdades incontestáveis. Muito obrigado! Realmente existem pessoas que não tem crescido por estarem acometidas desse mau, e não percebem, ou se percebem e continuam com esse defeito, estão doentes e talvez até afetadas do ponto de vista espiritual. O orgulho que se manifesta por atitudes altivas (arrogância), em oposição à humildade, não procede do amor, de Deus, e pode sim ter uma origem patológica, da carne ou até mesmo espiritual, e quem se sente mal com isso, prejudicado, deve inclusive recorrer à ajuda psicológica (profissional) para se tratar, e principalmente dobrar os joelhos, orar e buscar em Deus a cura. Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Filipenses 2:3.

    Por educação, devemos permanecer atentos para a maneira como os nossos comportamentos e hábitos, podem ser prejudiciais aos nossos relacionamentos.

    James C. Hunter

    ResponderExcluir
  9. Muito bom! O arrogante não percebe o quanto é ridículo.

    ResponderExcluir