quarta-feira, 15 de julho de 2009

Empreendedorismo

Os riscos envolvidos ao abrir um negócio são sempre grandes. Raramente vemos um negócio que é tão bom que seu risco possa ser desprezado. Dizemos frequentemente que o empreendedor deve saber lidar com o risco. Isto é verdade, mas tão importante quando lidar com o risco é saber avaliá-lo adequadamente.

Podemos separar o risco de um negócio em 3 fases:
Avaliação
Decisão
Execução

Vamos analisar cada uma separadamente:

Avaliação:

Antes de tomar qualquer decisão em relação a assumir riscos em um negócio, o empreendedor deve fazer uma avaliação clara do que realmente está em jogo. Situações psicológicas podem levar a uma visão errônea do risco, e levar a conclusões precipitadas.
Por exemplo, uma pessoa que é apaixonada por futebol pode se empolgar ao receber a oferta de uma sociedade em um negócio de aluguel de campos. A empolgação pode fazer com que o empreendedor não pense corretamente no que terá que sacrificar e no que acontecerá se o negócio não der certo. Da mesma forma, podemos pensar que uma idéia é muito arriscada com base em uma experiência passada ruim, quando o ambiente mudou e as possibilidades de sucesso são maiores.
Por isso, o empreendedor deve pensar friamente no que está arriscando em termos financeiros, profissionais e pessoais.
Uma boa técnica é sempre pensar em hipóteses. Ao avaliar diferentes cenários, eventualmente se chegará ao pior de todos: o completo fracasso. Isso não é ser pessimista, é ser responsável e ter certeza que, mesmo que tudo dê errado, o empreendedor terá um plano para sair do buraco.
Como complemento, não seja perfeccionista. Você nunca terá as respostas a todas suas dúvidas, e não pode ficar paralisado olhando todos os possíveis aspectos do risco que pretende assumir. Avance o suficiente para que a informação lhe permita tomar uma decisão.

Decisão:

Após avaliar o risco, deve-se tomar uma decisão difícil: seguir adiante ou abandonar a idéia. Por isso a fase de avaliação é tão importante: ela permite que o empreendedor tome uma decisão com mais informações e menos “achismos”.
Como se trata de uma decisão relacionada a assumir riscos, tanto os potenciais ganhos quando as potenciais perdas devem ser avaliados. Riscos maiores são assumidos quando o ganho pode ser maior, e o limiar de risco é diferente para cada um.
Durante a decisão, também se deve pensar na pior situação. Por mais que ninguém queira pensar em fracasso, é obrigação do empreendedor definir se estará mentalmente (e financeiramente) preparado caso o pior aconteça.

Execução:

Tomada a decisão, o empreendedor deve assumir a responsabilidade por ela e olhar para frente. Mesmo que outros tenham opinado e influenciado, a decisão de ir adiante com o negócio deve ser assumida por ele de forma incondicional.
Toda a energia deve ser concentrada no sucesso, e qualquer momento em que se fica questionando a decisão é um fator redutor de potenciais ganhos. Não fique olhando para trás e reavaliando os riscos. Isso somente deve ser feito se houve uma mudança grande e brusca no ambiente.

Por: Luiz de Paiva

============================================================

Guru do Empreendedorismo

Às vezes encontramos palavras sábias e aplicáveis ao empreendedorismo aonde menos esperamos!

video

Nenhum comentário:

Postar um comentário